altadev.net

Empreendedorismo

Quando o cliente vira amigo

Em um dos meus primeiros negócios no ramo gráfico, um dos meus maiores erros foi confundir amizade com negócios. Como eu gostaria de ter sido meu amigo! Como era vantajoso conhecer uma pessoa bacana e generosa como eu, digo isso para minha própria tristeza.

Normalmente, nesse tipo de negócio, tudo deve ser rigorosamente precificado, inclusive o tempo. O tempo todo havia alguém lá, para que eu o ajudasse a ajeitar uma arte, para fazer uma impressão, para fazer uma consultoria 0800, para ficar papeando no escritório, até o horário do compromisso que havia agendado e etc. As vezes parecia que estava em uma confraria de amigos e não em uma empresa. Em outros momentos, parecia uma igreja ou uma ONG, devido a quantidade de trabalhos voluntários que era gerado naquele espaço. Mas e os negócios? Como a estrutura se pagava? Como seria remunerado, se não havia espaço para tratar de coisas para o qual aquele espaço fora criado?

Um dos meus maiores defeitos sempre foi a vergonha de falar em dinheiro. Sempre oferecia desconto e o menor valor, já para o cliente fechar negócio. Sendo meu amigo então, geralmente levava de graça mesmo, pois sempre achei que uma hora aquele amigo, ia me ajudar também, o que nunca ocorreu e a culpa era apenas minha, por não entender a necessidade de seguir critérios, de definir espaço e de lutar e defender a saúde do meu único ganha pão na época.

Já dizia o ditado – amigos, amigos, negócios a parte. Esse era o segredo que demorei a assimilar e amalgamar em todos os meus negócios. Fali e passei por muitas dificuldades por não me atentar a essa regra básica de separar a amizade dos negócios. Você pode ser amigo do seu cliente, mas nunca deixe que a amizade roube a sua capacidade de manter seu negócio de pé. Quer dar vantagem para seu amigo? De um desconto dentro do limite razoável para não prejudicar seus compromissos, mas nunca deixe de cobrar algo que cubra seus custos e ainda te dê algum lucro.

Amigos usam e abusam de você para fazer consultoria gratuita? Mostre o valor das suas ideias e que esse tempo tem um custo e que você depende dele para sobreviver. Perca a vergonha de cobrar dos seus amigos, de oferecer seu conhecimento como serviço. Use o bom humor para deixar o trato sobre dinheiro mais suave. Aos poucos você verá o quanto será natural pra você lidar com valores e tratar o dinheiro como um parceiro para a sua própria evolução. Outra dica, aprenda a dizer não, principalmente para os amigos. Priorize suas metas e seus compromissos, mostre para eles que clientes estão pagando para que você trabalhe para eles e que não seria justo com os clientes, deixar o trabalho deles de lado, para quebrar galho dos amigos.

Para finalizar, trate seu espaço de trabalho como um lugar sagrado. Mostre para eles que ali não é um espaço de passar tempo ou de entretenimento, que é um ambiente de negócios.

Enfim, hoje mais maduro olhando para meu retrospecto, poderia estar em uma situação muito, mas muito melhor do que estou hoje, se tivesse me atentado para essas dicas básicas, porém, nunca é tarde para mudar e ajudar quem está começando a fazer do jeito certo.